Servidores têm pagamento suspenso por irregularidade, diz CMPreve

Há indícios de que vários servidores em Campo Maior foram transferidos para a folha de pagamentos de servidores inativos (uma espécie de aposentadoria paga com dinheiro do próprio tesouro municipal), de forma irregular. A suspeita está sendo apurada pelo Campo Maior Prev, é o que diz a gerente do órgão, Francisca Vasconcelos em nota divulgada nesta quinta-feira (19/01).

Vasconcelos esclareceu o motivo do atraso no pagamento dos salários destes servidores. É que na gestão do Prefeito Paulo Martins foi aprovada uma lei com o intuito de legalizar a situação deles transferindo-os para o Campo Maior Prev, porém o fundo ainda não absorveu estas pessoas porque constatou alguns indícios de irregularidades e abriu um procedimento para investigar a situação com o apoio da empresa que presta consultoria, Futuro Prev, a Prefeitura Municipal e o INSS.

A gerente não revelou ainda qual tipo de irregularidade foi detectada, mas informou que o pagamento, até mesmo daqueles que estão em condições legais, só pode ser feito quando for concluída toda a triagem. “Estão sendo apuradas diversas irregularidades nos processos de aposentadorias dessas pessoas, um número significativo está em situação que não se enquadra no que determina a lei, irregularidades que tem origem em gestões passadas, fato esse que impede o Conselho Deliberativo e Fiscal do Campo Maior Prev de autorizarem esses pagamentos”, disse em nota a gerente.

Ela afirma ainda que pode haver revogação de benefícios caso seja comprovado que algum servidor recebia a “aposentadoria” de maneira irregular. “Caso sejam detectadas irregularidades, ilegalidades ou afronta aos dispositivos constitucionais nas concessões dos benefícios, deve-se proceder com a revogação”, informou.

Vasconcelos ressaltou que todos os procedimentos de pesquisa estão sendo informados e acompanhados pelo Ministério Público. A nota que foi divulgada é assinada pela gerente do Campo Maior Prev e pela assistente administrativo e financeiro do fundo previdenciário, Nádya Mayara Paz Costa.

nota-cm prev

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *