Prefeito pretende criar Agente de Desenvolvimento, para subsidiar a Agricultura Familiar

Na última sexta-feira 29, produtores da Agricultora Familiar de Campo Maior se reuniram na Secretaria de Desenvolvimento Rural do Município para um café da manhã em alusão ao dia do Agricultor Familiar 28/07.

DSCF0737

Na oportunidade cerca de 110 agricultores assinaram suas propostas de venda por meio do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, que após ações do governo interino Michel Temer, teve uma queda de R$ 220.000 para 175 mil.

Diante da importância da agricultura familiar, que produz 70% dos alimentos consumidos em Campo Maior, o prefeito Paulo Martins disse que a prefeitura por meio da SDR, irá discutir junto aos agricultores uma nova proposta, a de criar o agente comunitário de desenvolvimento no setor rural, a medida visa fortalecer a produção de alimentos na região.

DSCF0792

A ideia, é que o agente venha a subsidiar o Agricultor, orientando-o, fazendo análise de terra, entre outros preparos para uma boa produção. Para isso a prefeitura irá selecionar técnicos em agricultora, formados no IFPI Campus Campo Maior, que conheçam a terra e sejam da própria comunidade. “Assim como temos o Agente de Saúde que passa em suas casas, pelo menos uma vez no mês, teremos o Agente Comunitário de Desenvolvimento no setor rural, vamos ter vinte agentes, selecionados do IFPI, formados por lá, que mora na comunidade, que entende de agricultura, para orientar você, a melhor produzir e ganhar dinheiro com seus produtos” disse o prefeito.

Outra preocupação

O prefeito lembrou que já foram realizados 110 poços de abastecimento de água no município, com exceção dos aprofundamentos e distribuídas mais de 320 cisternas na zona rural, ressaltando que, a água da cisterna não é para irrigação, mas para outro tipo de consumo.

Quanto a irrigação, o prefeito demonstrou-se preocupado, pois segundo ele, há sei anos consecutivos chove menos de 800 milímetros no município, o que é insuficiente para acumular água nas barragens e rios da região

“Colocamos 325 cisternas nas comunidades rurais, mas esta reserva de água não é para irrigação é outros meios, não temos em nosso município um lençol freático, temos fendas, o que nos preocupa, porque os poços estão baixando”. Disse o prefeito.

Também participaram do evento, representantes do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras de Campo Maior e os secretários de Relações Institucionais César Robério e Desenvolvimento Rural Israel Gomes.

DSCF0776DSCF0741 DSCF0758 DSCF0774 DSCF0767

 

Por: Silvana Moraes

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *