Policiais fazem “paredão humano” na Casa de Custódia para evitar fugas à noite

Homens da Força Nacional e da tropa de choque do Rone conseguiram conter a rebelião dentro da Casa de Custódia, o maior presídio do Estado. Uma vistoria foi feita em dois dos oito pavilhões da unidade prisional. O procedimento deve continuar até que todo presídio seja vistoriado.

A rebelião durou mais de 20 horas. A polícia – um total de 40 homens – permanece no presídio fazendo uma espécie de “paredão humano” para isolar as áreas destruídas e evitar que presos tentassem fuga em massa, durante a noite, já que eles deveriam pernoitar, no pátio, onde devem permanecer até que possam voltar para as celas, segundo Kleiton Holanda, diretor administrativo do Simpoljuspi.

De acordo com Kleiton Holanda, o estado em que a Casa de Custódia se encontra é caótico. “Eles destruíram tudo. Não há mais presídio. Foram arrancadas grades, e paredes foram quebradas. O que sobrou não dá para conter preso nenhum”, afirmou.

O membro da comissão das prerrogativas da OAB, Luis Alberto, disse que os presos reivindicam a volta da visita íntima e a saída do vice-diretor da Casa de Custódia, Luis Torquato. Para Luís Alberto, a greve dos agentes penitenciários motivou a rebelião. E que a rebelião se deu mais ainda por causa da crise que já se encontrava. Ele acrescenta que os presos alegam serem maltratados.

 

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *