Piauí volta a ter alta com 1.500 novos casos de Covid e 23 mortes em um dia

O estado do Piauí registrou nas últimas 24 horas um total de 1.540 novos casos confirmados de Covid-19. O número de óbitos foi 23, sendo três óbitos acumulados em períodos anteriores que estavam em investigação epidemiológica. Todos os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde, na noite desta terça-feira (11).

Coronavírus - Itália

Onze mulheres e doze homens não resistiram às complicações da Covid-19. Elas eram das cidades de Elesbão Veloso (60 anos), Esperantina (53 anos), Ipiranga do Piauí (71 anos), Isaias Coelho (86 anos), Marcos Parente (59 anos), Parnaíba (49 anos), Picos (55 anos), Susuapara (66 anos) e Teresina (58 e duas 73 anos).
Os homens eram naturais de Água Branca (54 anos), Alagoinha do Piauí (67 anos), Anísio de Abreu (43 anos), Barras (72 anos), Baixa Grande do Ribeiro (64 anos), Caraúbas do Piauí (60 anos), Cristino Castro (48 anos), Inhuma (86 anos), Lagoa do Piauí (37 anos), São João do Arraial (59 anos), São Raimundo Nonato (91 anos) e Teresina (36 anos). Quatro vítimas não possuíam doenças preexistentes.

Os óbitos acumulados e resgatados são de Teresina. Dois homens (42 e 64 anos) e uma mulher (73 anos). Os três tinham comorbidades. Dos 1.540 casos confirmados da doença, 837 são mulheres e 703 são homens, com idades que variam de um a 100 anos.

Os casos confirmados no estado somam 253.188 distribuídos em todos os municípios piauienses. Já os óbitos pelo novo coronavírus chegam a 5.423 e foram registrados em 221 municípios.

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 1.154 ocupados, sendo 731 leitos clínicos, 386 UTIs e 37 em leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 15.620 até o dia 11 de maio de 2021.

A Sesapi estima que 246.611 pessoas já estão recuperadas ou seguem em acompanhamento médico.

ÓBITOS ACUMULADOS

A Sesapi passa a divulgar os óbitos ocorridos em diversas datas, antes do fechamento do diagnóstico clínico do paciente e que estavam sob investigação epidemiológica. A investigação dessas mortes é para evitar distorções ou equívocos sobre a patologia que provocou o óbito. Apesar de terem ocorrido em datas anteriores, a confirmação e o registro das mortes entram no sistema apenas no dia que é fechado o diagnóstico.

 

Fonte: Cidadeverde

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *