Motoristas de ônibus de Teresina decidem entrar em greve

Os trabalhadores do sistema de transporte de Teresina vão parar as atividades a partir das 00h da próxima sexta-feira (26). A informação foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário (Sintetro) da capital, Fernando Feijão. Segundo ele, a categoria entra em greve por tempo indeterminado e pede melhorias nas condições de trabalho e cumprimento no reajuste salarial.

“Tínhamos acordado um reajuste de 12% em janeiro e somente o primeiro mês foi pago. Decidimos então em assembleia nesta segunda-feira [22] que vamos entrar em greve para resolver esse problema. Além disso, há diversas melhorias que pedimos e que não estão acontecendo”, declarou.

Entrega de fardamentos, cumprimento do pagamento das férias, plano de saúde, fim do pagamento por parte dos cobradores, em caso de assalto aos ônibus e melhorias nas condições precárias dos terminais de ônibus são algumas das reivindicações dos profissionais.

Em toda a capital, são cerca de 2,5 mil trabalhadores, entre motoristas, cobradores, fiscais, mecânicos e outros. Na última sexta-feira (19), a categoria já havia feito uma paralisação por cerca de uma hora, no Centro da capital, como alerta para a possibilidade de greve.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), o reajuste não foi pago como o acordado porque não está recebendo da Prefeitura a contrapartida referente ao congelamento da tarifa estudantil.
Strans vai cadastrar veículos reserva

5004caaee47-fc96-4429-92bf-cac6ff76a665

Em entrevista à TV Cidade Verde, o superintendente de Trânsito da capital, Carlos Daniel, explicou que a prefeitura não pode ser responsabilizada pela greve, porque essa é uma questão entre funcionários e patrões. “É uma relação seletista, não tem a ver com a Prefeitura. Somos responsáveis pela operação do sistema e ficou acordado que as empresas de transporte terão repasses de recursos quando os recursos arrecadados não forem suficientes. Neste momento não houve repasse porque existe uma demanda judicial que tem que ser resolvida primeira”, esclareceu.

O superintendente revelou ainda que a partir de quarta-feira (24), a Strans vai começar a cadastrar veículos para diminuir os transtornos da greve. “Se não houver mudança quanto à indicação de greve, vamos cadastrar veículos para substituir os ônibus a partir de quarta”, enfatizou.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *