Escolas visitam memorial do Jenipapo enquanto mulheres pagam promessas para as “almas do batalhão”

A comemoração dos 196 anos da Batalha do Jenipapo, nesta quarta-feira, 13 de março, foi um dia bastante movimento no memorial erguido em homenagem aos homens e mulher, que morreram na sangrenta batalha ocorrida em 1823, no município de Campo Maior.

Ainda era cedo quando alunos de escolas de cidade como Piripiri, Cocal de Telha, Parnaíba e Teresina visitavam o Monumento com o intuito de conhecer um pouco mais da história do Piauí e entender a importância da luta para a consolidação da independência do Brasil.

DSCF1834

Pessoas movidas pela fé como a senhora, Lindomar, de 57 anos, também visitaram o local, e foram ao cemitério para pagar promessas feitas às “almas do batalhão”. Dona Lindomar conta que o filho dela estava privado de liberdade na Casa de Custódia, foi então que ela se apegou com as almas do batalhão e recebeu a graça, a liberdade do filho. “Meu filho estava na custódia, caminhei 9 meses pra lá, então pedir ajuda as “almas do batalhão” e elas me ajudaram, e sempre venho rezar e acender velas pra elas, faz dois anos que ele saiu e não vai mais voltar com fé Deus”, disse dona Lindomar.

Já a Emanuelly Bandeira, aluna do 5º ano, do Educandário Cristo, da cidade de Piripiri conta que foi conferir de perto o que é retratado nas aulas de história pela professora Joselita Rêgo.

DSCF1814

“Estou achando muito legal, é tudo muito bonito, incrível, é bom saber sobre a história do passado, infelizmente nós perdemos a guerra, mas muita gente deu a vida, em prol da liberdade de outras pessoas, vendo a representação de tudo que eles usaram na guerra, enquanto as outras tropas tinham armas boas, eu acho que foi uma luta injusta”. Disse Emanuelly.

A professora de história, Joselita Rêgo fala da importância de levar a turma para conhecer o Monumento. “ É importante mostrar aos alunos um pouco da nossa história, que de certa forma ainda é desconhecida para muitos piauienses, isso faz parte do início da independência do Brasil, então trazê-los aqui é de grandes importância para eles” concluiu.

DSCF1816DSCF1837 DSCF1816 DSCF1807DSCF1793

Texto e fotos: Silvana Moraes

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *