Bancada do Piauí se divide e dá 5 votos ao impeachment e 5 contra

A bancada do Piauí na Câmara Federal votou por volta das 21h20h. Dos dez deputados, cinco foram contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e cinco a favor.

Quem primeiro usou o microfone para votar foi o deputado do PT, Assis Carvalho. O petista criticou duramente o presidente Eduardo Cunha e disse que ele pagará pelo mal que faz ao país. “Em defesa do Nordeste, do Piauí, da sua cidade de Oeiras, mas principalmente no combate à corrupção representado por Eduardo Cunha e Michel Temer ele disse votar: não uma corrupção ridícula que envergonha o país. Parar encerrar ele usou a seguinte frase: Logo, logo Eduardo Cunha você estará pagando por isso atrás das grades pelo mal que faz ao Brasil”.

Em seguida foi a vez de Atíla Lira (PSB) que resumiu sua fala a um voto de esperança. “Momento difícil para todos nós, disse ele. O que o levou a votar, foi sua decisão de renovação de esperança para o nosso país. Pelo meu estado, do país, não vamos desistir do Brasil: eu voto sim”, disse Átila Lira,.

Fábio Abreu (PTB) declarou votar por suas convicções. “De acordo com as minhas convicções e em defesa das leis desse país eu voto não”, disse ele.

c9dba0560948b5ff2da1deb49ce0430a

O deputado Heráclito Fortes (PSB) afirmou que foi vítima do PT, mas negou que o voto fosse por rancor. “Esse pessoal sabe o que eu sofri nas mãos do PT de 2010 até agora. O voto que darei não é um voto de rancor, é o voto do futuro do Brasil. É o voto que o Brasil está exigindo. O voto em nome das ruas, portanto ele é sim”, afirmou.

Alegando ser obrigada a seguir o partido, Iracema Portela (PP) votou pelo impeachment, mesmo afirmando estar triste. “Exclusivamente por orientação partidária, mas com sentimento de tristeza o meu voto é sim”, disse a parlamentar.

Júlio César (PSD) falou do desajuste das contas públicas e dos desempregados do país. “Contra o desajuste das contas públicas, contra o mito da inflação e o desemprego, e a favor dos 10 milhões de desempregados do nosso país, em defesa dos 5.570 municípios e para restabelecer a esperança do povo do Piauí e do Brasil, eu voto sim”, afirmou.

Marcelo Castro, ex-ministro da Saúde, chamou o processo de forjado. E votou contra.

Paes Landim (PTB) apenas afirmou que não foi convencido de crime de responsabilidade. “Não me convenceram da existência de crime de responsabilidade. Eu voto não”, declarou ele.

A deputada Rejane Dias (PT) falou em democracia e no respeito ao voto dos brasileiros que elegeram Dilma a primeira mulher presidente do país, e votou não”.

Rodrigo Martins (PSB) encerrou a votação do Piauí afirmando votar por homens e mulheres de bem. “Pelo futuro do povo do Brasil e em especial aos piauienses e em especial à cidade de Teresina. Em respeito a todos os homens e mulheres de bem que estão lutando por um Brasil melhor, eu voto sim”, declarou.

O Piauí foi o 20º Estado a votar. A região Nordeste foi a última na lista de chamada dos parlamentares.

Fonte: cidadeverde

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *