Após enchentes, população de Campo Maior sofre com surto de conjuntivite

Após as chuvas que caíram em Campo Maior na primeira quinzena do mês de abril muitos munícipes que tiveram problemas com a enchente agora enfrentam um surto de conjuntivite viral, doença considerada altamente contagiosa.

Até o momento não se sabe a quantidade de casos no município, o secretário de saúde, Marcelo Miranda informou que está fazendo um levantamento dos casos e chama atenção da população com os cuidados para evitar a contaminação da doença.

O secretário alerta que, soluções caseiras devem ser evitadas, pois podem acarretar em sérios danos oculares e que a pessoa contaminada deve procurar orientação médica antes de fazer uso de medicamento.

A oftalmologista, Namir Clementino dos Santos, explica que a doença é sazonal e prevalente neste período de ano, quando as chuvas são frequentes. A profissional enumera os cuidados necessários para evitar a contaminação.

“As pessoas não-infectadas devem evitar levar as mãos aos olhos. A contaminação não se dá pelo contato próximo, mas pela inoculação acidental de secreção do vírus no olho. Por exemplo, a pessoa usa a mesma toalha, o mesmo telefone ou outros objetos contaminados e acidentalmente leva a mão no olho. Assim pode adquirir a infecção”, alerta Namir Clementino.

Entre os sintomas da doença estão irritação e prurido ocular até 72 horas antes de caracterizado o quadro clínico. A oftalmologista recomenda que as pessoas infectadas se afastem das atividades habituais.

“Alguns vírus são mais agressivos e dão mais inflamação, inclusive com formação de membrana revestindo a conjuntiva palpebral causando infiltrados inflamatórios na córnea. Esses casos são mais graves e o paciente fica com mais sensibilidade, embasamento ocular e demora a reverter o quadro”, explica a médica que diz que ainda não existe nenhuma medicação antiviral específica para tratar a conjuntivite.

“A medicação é de suporte para aliviar desconfortos eventuais. O recomendado é fazer compressas geladas para diminuir o edema, usar soro fisiológico gelado, lavar bem o olho, usar lubrificantes e anti-inflamatórios de uso tópico”, recomenda Namir Clementino.
“Pimenta, vinagre, limão podem causar outros danos oculares e deixar queimaduras na conjuntiva e sequelas irreversíveis. Isso não deve ser feito de maneira alguma. Se o paciente tiver muito incomodado o ideal é procurar atendimento médico”, finaliza a oftalmologista.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *