32 mil perícias deixam de ser feitas por greve dos médicos do INSS

Pelo menos 32 mil perícias médicas estão deixando de ser feitas por causa da greve dos médicos peritos do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) que já dura quatro meses e teve as negociações cessadas no final do ano. Destas, 11 mil foram marcadas pela primeira vez e as pessoas estão sem receber benefício.

O superintendente do INSS no Piauí, Carlos Viana, disse que pelo menos 30% dos médicos continuam atendendo, de acordo com a legislação, mas que está havendo muita remarcação.

“Pedimos aos peritos que estão trabalhando para priorizarem as novas perícias, porque são pessoas doentes que precisam do benefício para fazerem seus tratamentos e estão sem esse dinheiro. Já os que precisam renovar a perícia, foi acordado que continuarão recebendo o benefício até passarem pela perícia”, destacou o superintendente.

Ele completou que a capacidade de atendimento dos médicos no Estado é de 12 mil perícias mês, mas atualmente estão sendo feitas quatro mil. “Pedimos para as pessoas procurarem os funcionários e os próprios médicos no plantão e explicar a situação para que eles mesmos avaliem cada caso e faça o atendimento ou remarque e que priorize os que estão fazendo pela primeira vez”, afirma Carlos Viana.

Segundo o superintendente, não há perspectiva da greve terminar, já que as negociações estão paralisadas em Brasília.

Fonte:cidadeverde

Tagged with:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *